Aviação civil é qualquer utilização da aviação (aeronaves) para fins não militares, isto é, não relacionados com guerra ou atividades de defesa entre estados-nações. A aviação civil se divide em duas grandes categorias: o transporte aéreo e a aviação geral, onde se incluem todas as outras categorias e atividades de aviação civil que não o transporte.

Transporte aéreo

Por sua vez, o transporte aéreo se divide em duas grandes áreas: o transporte de passageiros e o transporte de carga.

O transporte de passageiros é aquele em que normalmente se pensa por ser o que tem mais impacto direto na vida das pessoas. Milhões de pessoas são transportadas anualmente por todo o mundo. Poderíamos dividir o transporte de passageiros em diversas categorias: voos intercontinentais, voos continentais e voos domésticos. Para países de grande dimensão, como o Brasil, os Estados Unidos ou a Rússia, o voo doméstico se torna um recurso essencial para o transporte de passageiros em longas distâncias.

O transporte de carga por via aérea é habitualmente considerado quando a relação entre o valor da carga e a urgência da sua entrega justifica a utilização desse meio.

Aviação Geral

Todas as outras operações e atividades aéreas se incluem nesta categoria. É o caso de:

  • aviação executiva: embora se trate de transporte aéreo, é um tipo de operação particular e que funciona à parte das rotas comerciais, e por isso se considera nesta categoria.
  • aviação agrícola (por exemplo, para fertilização de largos campos agrícolas).
  • táxi aéreo
  • aerofotogrametria
  • aviação experimental: construção de bólidos voadores por particulares. A Agência Nacional de Aviação Civil reconhece perto de 5000 engenhos desse tipo no Brasil.
  • aviação esportiva, na qual se incluem várias subcategorias: a acrobacia aérea, a asa-delta, o uso de ultraleves, a corrida aérea (como a famosa Red Bull Race), o planador, o parapente e até o aeromodelismo.