Os dados oficiais da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) demonstram bem a importância do transporte aéreo no Brasil. Em 2015, a ANAC tinha 2463 aeródromos registrados, sendo que 1806 eram aeródromos privados, o que mostra bem como a economia brasileira considera fundamental o transporte aéreo. Ao mesmo tempo, os 657 aeródromos públicos apontam o caminho do futuro em termos de ligação das cidades e municípios brasileiros entre si e ao mundo.

A importância dos aeroportos

Contudo, o essencial do transporte aéreo de passageiros no Brasil é feito através de um número “pequeno” de infraestruturas: os 65 aeroportos que, de acordo com os números da ANAC, concentravam 98% dos cerca de 199 milhões de passageiros.

Os aeroportos aqui considerados são internacionais, nacionais e regionais e, deles, apenas 31 estão localizados nas capitais, o que mostra também o quão fundamental é para o Brasil o funcionamento do transporte aéreo. Toda cidade importante e de média importância precisa ter seu aeroporto funcionando devidamente.

Alguns entre os melhores do mundo…

A AirHelp, um serviço que se dedica a colocar reclamações junto de companhias aéreas representando passageiros insatisfeitos, publicou recentemente uma lista renovada com os 10 melhores e 10 piores aeroportos do mundo. Tem dois aeroportos brasileiros incluídos na lista dos melhores: Viracopos (Campinas) ficou na sétima posição e Guararapes (Recife) ficou no nono lugar. Além disso, não tem nenhum na lista dos piores. Isso mostra que, no que toca a serviços de aviação civil, os do Brasil são de primeiro mundo

…mas tem falta de outros

É notório que as cidades de São Paulo e o Rio beneficiariam bastante com um novo aeroporto cada uma. Mesmo argumentando que o tráfego aéreo não é tão intenso como acontece nas capitais europeias, como Paris e Londres, que servem de hubs globais e por isso têm vários aeroportos, o fato é que o desenvolvimento de companhias low cost seria grandemente beneficiado com a colocação em terminais de aeroporto com tarifas inferiores.